Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Doce Cafeína

Doce Cafeína

18
Nov21

Cuidar de nós

Cafeína

Quanto mais olho em volta mais sinto necessidade de estar comigo mesma, de me auto-conhecer e cuidar.

Lido diariamento com pessoas que até me dizem alguma coisa no que toca à questão da essência interior mas de um dia para o outro vejo essa essência desmoronar-se. E isto realmente me desilude muito, causa-me uma decepção sem retorno. Eu sei que todos somos humanos, erramos e mudamos mas há caracteristicas que são natas e essas devem predominar sempre. Eu tenho 37 anos e não estou igual quando tinha 27 anos. Nós evoluímos e é esse um dos principais propoósitos de vida de todo o ser humano. Mas sabem quando algo perde o encanto? Quando cai o véu e quando cai o manto? Talvez eu seja demasiado piegas mas custa-me tanto assistir ao degradar de uma personalidade bonita e até imponente pela sua presença.

Eu também mudo, também falho, também desiludo e isso faz-me colocar no lugar do outro mas... será que devemos aceitar tudo impávidos e serenos, sem questionar, sem ir à luta, sem remediar?

Hoje estou muito virada para esta reflexão.

 

08
Out21

Que lata!

Cafeína

Tenho uma colega de trabalho que é pica aqui e pica ali, gosta de acender o rastilho e quando a bomba está para explodir escapa-se sempre não assumindo os seus actos.

Certo dia, teve um determinado comportamento que não gostei e mantive-me calminha e na minha paz. Agora diz que estou sempre mais caladinha porque fiquei aborrecida com ela. Expliquei-lhe calmamente que não tenho nada contra ela mas prefiro manter-me na minha, de prefêrencia longe de confusões.

Rematou por fim com a seguinte frase: " anda esta gente em terapias holisticas".

Olhei para ela, levantei-me e fui tomar um café. Paciencia Cafeína! Paciencia!

02
Set21

Talvez seja exagero

Cafeína

mas eu fiz uma razia a uns tantos objetos que me faziam doer ao lembrar-me de certa pessoa.

Pode parecer exagerado, para mim é necessário. Sou demasiado " maricas" para ignorar uns tantos "biblôs" que me recordam tempos que outrora quis manter para a vida. Não sei se é um defeito meu ou até algo a limar, admito pois aquela célebre frase " estamos começados mas não acabados" e então dou o benefício da dúvida se isto será mau feitio ou uma maneira mais parva de me proteger.

Quem me rodeia diz que sou intensa e que " não tens uma merda de meio termo". Reconheço que é verdade mas será assim tão mau? Dou me por inteiro ou simplesmente não me dou, estou onde sinto que posso ser o que sou ou simplesmente viro costas e sigo estrada. 

Estamos a viver, estamos todos a tentar levar isto o melhor que sabemos e como disse a alguém que muito me tem ensinado... vamos lá ser francos, ninguém tem culpa por acreditar, por lutar e por não ter defesas. A regra é simples: eu vou a jogo mas se fizerem batota comigo, saio da mesa. 

E eu jogo até ao fim mas quando desisto deito fora as restantes fichas.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub