Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Doce Cafeína

Doce Cafeína

12
Jan22

Ao lado de mim mesma

Cafeína

Ontem, quando saí do trabalho e já com os miúdos em casa vesti as calças de fato treino e fui caminhar.

Estava um pouco sufocada com o dia de trabalho que tinha tido e em simultâneo tive que gerir um assunto que mexe com a minha parte emocional. Enquanto caminhava, e quando assim é, (prefiro fazê-lo sózinha) costumo colocar-me à vontade comigo mesma. Durante a caminhada falei, conversei, fiz perguntas, dei respostas de mim para mim e o que é certo é que cheguei a casa muito mais leve.

Sei que o ser humano tem uma tedência para evoluir enquanto pessoa e enquanto alma e eu sinto que estes momentos a sós comigo são fundamentais para que isso se proporcione. Ontem percebi que na verdade " tu te bastas" há um ato de coragem e ao mesmo tempo de liberdade enormes, embora a custo de muita dor e de muitos silêncios.

Fez-me bem privar comigo mesma.

03
Jan22

Uma pequena partilha

Cafeína

Eu já partilhei convosco que o nevoiro me encanta e tenho sido prendada com ele nos últimos dois dias, por isso, ontem, levantei-me bem cedinho e fui fazer uma caminhada, não se via ninguém mas consegui desfrutar daquela chuva miudinha a cair-me em cima. Gosto tanto, faz-me tão feliz!

Enquanto caminhava, pude refletir sobre um filme que vi e que talvez vocês conheçam: A Cabana. Achei muito bonito, interessante e com muitas mensagens nas entrelinhas. Aconselho a ver.

Hoje já estou no local de trabalho, ainda a reiniciar o cérebro para esta segunda-feira.

Um dia muito feliz! 

28
Dez21

Sobre 2021

Cafeína

Aprendi a chorar sem lágrimas, fui embora de uma amizade e descobri que nesse momento tive o maior ato de coragem e a maior prova de amor dada a mim mesma. Doeu-me horrores, causou-me danos emocionais.

Descobri que todo e qualquer tipo de relacionamento é muito mais complexo do que se possa imaginar e que a única pessoa que devemos colocar no pedestal somos nós mesmos. Aprendi a gerir as minhas angústias e desesperos e senti o quanto isso me impulsionou para um crescimento interior brutal.  Entendi que eu  e só eu serei sempre gentil o necessário para me acrescentar. Gosto muito da Cafeína de hoje e de todas as outras Cafeínas deixadas lá atrás.

Aprendi que o sofrimento, após o seu dano, nos permite voltar a sonhar e a reeencontrarmo-nos connosco mesmos, fiz planos, mudei de vida, comecei a poupar mais dinheiro, aconselhei os meus filhos como se fosse muito velhinha e olhei para o cafeína-men como aquele que está lá sempre.

Consegui o emprego que tanto queria, aprendi a não discutir mas, em vez disso, levantar a sobrancelha e olhar nos olhos para mostrar o meu desagrado. Tornei-me mais livre, mais idependente, mais próxima dos meus filhos e neste momento tenho projetos em mãos.

Em vez de um copo de vinho, bebo dois ou três, os que me apetecer desde que não me perca de mim, rio à mesa, não faço grandes fretes e se me chatearem muito levanto o dedo do meio. Por fim, e ao fim de tantos anos (tenho 37) aprendi que não conseguimos mudar ninguém nem meter nada na cabeça de quem quer que seja (palmas para mim que doeu mas cheguei lá  ) restando-nos sair da mesa de jogo e a saber sair de cena na hora certa.

Chorei de raiva, de dor, magoaram-me muito, exigiram de mim o que não conseguia dar mas libertei-me de tudo isso e olhei mais vezes para mim própria. Disse "amo-te" aos meus filhos vezes sem conta e dei-me ao luxo de me amar.

Não foi um ano fácil mas foi um bom ano 

 

26
Out21

Enquanto o mundo dormia

Cafeína

Hoje madruguei e fiz uma pequena caminhada antes de ir trabalhar.

Ainda era noite mas o céu estava deliciosamente composto por tons alaranjados das luzes da cidade. Ao longe via-se um carro ou outro e o sol a querer despontar. A paz que senti do alto daquele monte enquanto olhava para baixo é indiscrítivel. Senti uma calma interior que me regenerou de qualquer dor que tinha. Foi tão enriquecedor poder estar comigo e com a minha solidão naquele ambiente...

Enquanto o mundo dormia.

09
Set21

Silêncio

Cafeína

Gosto do silêncio.

Gosto do que ele me diz e faz. Talvez seja a intensidade da sua voz... a voz do silêncio.

E gosto de me retirar do mundo por breves instantes porque ás vezes fico muito cansada do "tens que fazer, tens que dizer, tem de ser". E depois... depois a luz apaga, a cidade dorme, o interior reage. 

E ainda há o tempo... Ah! o tempo... esse que afinal nada cura mas torna distante as dores de outrora. Que é companheiro do silêncio mas que anda num passo muito mais apressado fazendo questão de não olhar para trás nem esperar que "fiques bem". 

Que se faz com isto? 

Com isto cresce-se, feridas vão e cicatrizes ficam. Ciclos terminam e ciclos começam...

E a vida segue, o silêncio urge, o sorriso começa a ficar entre parentesis e a alma evolui .

09
Set21

Silêncio

Cafeína

Gosto do silêncio.

Gosto do que ele me diz e faz. Talvez seja a intensidade da sua voz... a voz do silêncio.

E gosto de me retirar do mundo por breves instantes porque ás vezes fico muito cansada do "tens que fazer, tens que dizer, tem de ser". E depois... depois a luz apaga, a cidade dorme, o interior reage. 

E ainda há o tempo... Ah! o tempo... esse que afinal nada cura mas torna distante as dores de outrora. Que é companheiro do silêncio mas que anda num passo muito mais apressado fazendo questão de não olhar para trás nem esperar que "fiques bem". 

Que se faz com isto? 

Com isto cresce-se, feridas vão e cicatrizes ficam. Ciclos terminam e ciclos começam...

E a vida segue, o silêncio urge, o sorriso começa a ficar entre parentesis e a alma evolui .

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub