Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Doce Cafeína

Doce Cafeína

26
Jul22

Um café com Ana D.

Cafeína
Bom dia sapinhos (as)!
 
A minha convidada de hoje é conhecida pelo seu humor e pela boa disposição que encontramos diáriamente no seu blog, que desde já aconselho a visitarem, pois vale muito a pena , falo da Ana D., autora do blog Green Ideas e também uma das grandes personalidades do blog sardinhaSemlata.
Dotada de um humor muito próprio, desde já agradeço pela sua presença na minha chafarica e vamos então prosseguir com a entrevista
 
Cafeína: Das inúmeras características que tens, qual a que melhor te define?
Ana D: Perseverança. Sou perseverante no bom sentido. Não sou mulher de me resignar e vou à luta. É por isso que é tão difícil aceitar a perda do meu pai, porque me obriga a aceitar que não consegui fazer nada para o evitar e que nada posso fazer para reverter ou minimizar a situação.
 
Cafeína: Que te faz sorrir com facilidade?
Ana D: Sem dúvida alguma, o meu filho! O meu filho e os meus pais são o que me faz sorrir. Sempre. São os meus amores maiores.
 
Cafeína: Que música te faz manter o rádio ligado até que a mesma termine?
Ana D: "My Way" do Frank Sinatra. Mas também existem muitas outras músicas que me fazem manter o rádio ligado. Mas sou bastante eclética nos meus gostos musicais e as minhas escolhas dependem muito do estado d' alma.
 
Cafeína: Qual o teu prato favorito?
Ana D: Uma pergunta difícil... não sei se tenho um prato preferido. Diria que o meu prato preferido é aquele que me apetece comer no dia, mas gosto imenso de vários pratos de bacalhau. 
 
Cafeína: O que não toleras?
Ana D: Hipocrisia. Sou completamente incompatível com essa forma de estar na vida.
 
Cafeína: Qual a tua cor favorita e que cor vestes mais?
Ana D: A minha cor favorita é o verde. Quanto à cor que mais visto, é sem dúvida o preto, porque gosto do clássico moderno e também pela sua sobriedade.
 
Cafeína: Fala-me sobre um dos teus sonhos.
Ana D: O meu maior sonho é ver o meu filho crescer, feliz e saudável. Vê-lo alcançar os seus sonhos... O outro é conseguir cuidar da minha querida mãe, tal como o meu pai me pediu. Ambos têm a minha dedicação e amor plenos.
 
Cafeína: Que gostas de fazer nos tempos livres?
Ana D: Tantas coisas!! Não tenho é tempos livres que cheguem para tanto... Gosto de ler, escrever, de fazer crochet e tricot, de bordar, de cuidar das minhas plantas e da minha horta, de fazer sobremesas, de ir à praia, de passear, de nadar, de ouvir música, enfim, gosto de fazer tanta coisa que às vezes até gosto de fazer "nada"! 
 
Cafeína: Acreditas em Deus ou em Algo superior?
Ana D: Acredito em Deus, embora esteja zangada com ele. Diria que estou mesmo de relações cortadas com ele, pelo motivo que já se sabe.
 
Cafeína: Que número calças, quanto medes?
Ana D: Calço o número 37 e meço 1,57m.
 
Cafeína: Preferes praia ou campo?
Ana D: Praia, porque o mar faz parte da minha essência. O mar dá-me tanto...
 
Cafeína: Qual o filme que mais te marcou?
Ana D: É difícil identificar um só filme, mas talvez "A vida é bela" de Roberto Benigni que retrata um "amor maior", um amor altruísta e abnegado pela família, valores que muito admiro e partilho.
 
Cafeína: Escreverias um livro? Se sim, sobre quê?
Ana D: Gostaria de escrever um livro e esse desejo está no meu horizonte. Mas tudo tem um tempo e se tiver de ser, será. O futuro logo dirá. O mais óbvio seria escrever sobre um tema técnico que decorra da minha experiência profissional, mas penso que o meu sonho passa por algo bem diferente. Tudo a seu tempo! 
 
E então? Gostaram?
19
Jul22

Um café com a Sofia

Cafeína
Bom dia Sapinhos (as)  
 
Tal como prometido, hoje trago mais uma convidada! Para tomar café comigo, convidei a Sofia, autora de dois magníficos blogues dos quais deixo aqui o link para que possam conhecer e frequentar: https://blogmusicaparaalmavibrar.blogs.sapo.pt/ e https://blogomeujardimencantado.blogs.sapo.pt e como não há duas em três , Sofia é também uma das autoras de https://clubedegatosdosapo.blogs.sapo.pt.
Ora vão lá espreitar 
 
Vamos então a isto? 
Bora lá 
 
Cafeína: Das inúmeras características que tens, qual a que melhor te define? 
Sofia: Lealdade.
 
Cafeína: Que te faz sorrir com facilidade?
Sofia:    As coisas simples da vida! O Sol, a natureza, a música, o sorriso de uma criança, os animais...
 
Cafeína: Que música te faz manter o rádio ligado até que a mesma termine?
Sofia: Ui! Sendo a música uma das minhas paixões, tenho várias dependendo do estado de alma.
Mas como hoje quero espalhar boa energia que tal Higher Love?
 
 
 
Cafeína: Qual o teu prato favorito?
Sofia: Adoro bacalhau com natas! 
 
Cafeína: O que não toleras?
Sofia: A injustiça! Infelizmente é o que mais vemos no mundo...
 
Cafeína: Qual a tua cor favorita e que cor vestes mais?
Sofia:O preto e o rosa choque! Sim, têm tudo a ver uma com a outra. 
     O preto predomina no meu guarda roupa, pois combina com todas as peças!
 
Cafeína: Fala-me sobre um dos teus sonhos.
Sofia: É melhor não falar deste meu outro universo completamente louco!
   Nem a dormir os meus neurónios descansam!
   Costumam ser muito criativos e na maior das vezes não me recordo deles.
 
Cafeína:Que gostas de fazer nos tempos livres?
Sofia: Estar com os amigos, ler, ouvir música, ir ao cinema e estar comigo mesma.
 
Cafeína: Acreditas em Deus ou em Algo superior?
Sofia: Sim, embora durante muitos anos tenha estado afastada dele!
O  que mais detesto é a injustiça.
 Como é que uma criança aceita que não pode ter uma mãe como as outras? 
 Como é que quem nos devia proteger acima de tudo é quem nos mais mal faz?
 Há dois anos perdi o meu pai de uma forma cruel e abrupta!
 Ele foi e será sempre meu pai e mãe, porquê que foi roubado?
 Sei que cumpriu a sua missão, mas continua a não ser justo!
 Apesar de tudo o que passei na vida encontrei o equilíbrio mental, a paz interior, forças para continuar a lutar, encontrei-me a mim e a minha missão!
Vou sempre lutar pela luz, pela justiça e sei que não luto sozinha.
    
 
Cafeína: Que número calças, quanto medes?
Sofia: Calço o 36 e meço um 1.54 m, sou a chamada rodas baixas ou porta-chaves!
 
Cafeína: Preferes praia ou campo?
Sofia: Gosto dos dois na quantidade certa!
           Sou da cidade, mas adoro desfrutar a natureza.
 
Cafeína: Qual o filme que mais te marcou?
Sofia: A sétima arte é outra das minhas paixões!
Foram vários os filmes que me marcaram pelas variadas razões, mas um dos filmes obrigatórios é o "Cavalo de Guerra" do Steven Spielberg.
Uma história de amizade, coragem e resiliência entre um jovem e o seu cavalo que enfrentam o inferno para voltarem a estar juntos.
É uma obra de arte com a qual os homens deveriam aprender!
 
 
      
Cafeína: Escreverias um livro? Se sim, sobre quê?
Sofia: Nunca! É um dom que não me assiste!
           Adoro ler, construir os personagens e o enredo dando-lhes vida na minha cabeça. 
 
 
 
Espero que tenham gostado de conhecer um pouco mais da Sofia! 
 
P.S- Quem será a vitima da próxima semana? 
 
 
18
Jul22

Centopeia

Cafeína

Ele veio até mim com um tom amarelado a dar para o branco pálido, tomou coragem, respirou fundo e disse: "cafeína, está uma centopeia ali ao canto e eu não consigo mexer-me nem sei o que fazer"

Agarrei na vassoura e na pá e depois mandei a bichinha pela sanita abaixo. Fui ter com ele que já tinha voltado ao seu semblante natural, certifiquei-me que não borrou a cueca e fomos para á praia. 

Agora digam-me... O que são e para que servem os maridos? 

15
Jul22

Efeito iô-iô

Cafeína

Não falo de dieta (até porque só com muito jeitinho chego aos 50 kg se me pesar vestida de capote ou samarra)

Falo de pessoas que me metem doida, pela personalidade vai e vem, pelo maneira como oscilam conforme a direcção do vento e por não admitirem que sentem, gostam, fazem.

E embora, já tenha experiência suficiente para ter consciência que o seu comportamento não muda (porque ninguém muda) e  soletro para não me esquecer facilmente: N-i-n-g-u-é-m    m-u-d-a 

O que muda são os meus sentimentos em relação a quem não muda ou não faz um esforço para se manter no mesmo registo, porque sinto que me vou cansando, entristecendo e mirrando a minha paciência em relação a dita cuja personalidade. Fico triste. Há pessoas das quais não me quero desapegar mas cuja personalidade iô-iô me sufoca, é como beber shots de veneno.

Questiono se serei aquela peça do puzzle que tem dois cús dois lados e que aparentemente encaixam no puzzle mas acaba por saltar por não ser ali o seu lugar.

Sou de fácil apego mas a vida já me ensinou a escolher-me em caso de dúvida.

 

12
Jul22

Um café com o Marco

Cafeína

Bom dia 

Tal como prometido, hoje publico uma entrevista que fiz a um dos participantes da resposta à adivinha que lancei aqui na passada Quinta-feira.

Trago à minha casa, o Marco. O Marco tem uma doçura e uma sensibilidade que o caracterizam e é um grande senhor da banda desenhada, o desenho que tenho no meu perfil é da sua autoria  O Marco é meu convidado de honra e desde já deixo aqui o link https://merlo.blogs.sapo.pt/ da sua casa para que quem ainda não conhece, possa lá ir conhecer pois vale muito a pena.

Aqui fica a entrevista, espero que gostem 

Cafeína: Das inúmeras características que tens, qual a que melhor te define?

Marco: Timidez, aquela que tento esconder, mas que me caracteriza. 

Cafeína: Que te faz sorrir com facilidade?

Marco: Ver os outros sorrirem. 

Cafeína: Que música te faz manter o rádio ligado até que a mesma termine?

Marco: Se pudesse era todas, gosto muito de música, mas há bandas preferidas como linkin park, red hot chilli paper, cold play, imagine dragons, sia, yann tiersen, eminem, dillaz, dvbbs, tiesto, e outros tantos, resumindo todas as músicas que me fazem sentir algo.

Se posso só escolher uma "Coldplay - Viva La Vida"

Cafeína: Qual o teu prato favorito?

Marco: Batatas fritas com bife e ovo estrelado. É um prato que a minha mãe me fazia todas as quarta-feira, porque saía mais cedo da escola.

Cafeína: O que não toleras?

Marco: Hipocrisia, e vejo isto tanto no trabalho que chega a doer a alma. 

Cafeína: Qual a tua cor favorita e que cor vestes mais?

Marco: Cor favorita amarelo, que visto azul,  95% das minhas roupas são desta cor. 

Cafeína: Fala-me sobre um dos teus sonhos.

Marco: Houve uma altura da minha vida que os perdi, e nunca mais consegui voltar a sonhar com algo, mas se pode ser um sonho é sentir-me feliz.

Cafeína: Que gostas de fazer nos tempos livres?

Marco: Andar de skate, bicicleta, ou criar algo seja um desenho ou algo nem outro material. 

Cafeína: Acreditas em Deus ou em Algo superior?

Marco: Sim, tive uma educação católica. Não sou praticante. 

Cafeína: Que número calças?

Marco: A pergunta mais fácil de todas  43, sou um big foot, é para dormir em pé, mas sou alto é por isso. 

Cafeína: Preferes praia ou campo?

Marco: Campo é as minhas origens onde cresci e onde tenho recordações, hoje vivo mais perto da praia, mas não me diz nada, não tenho ligação, apenas acho bonito. 

Cafeína: Qual o filme que mais te marcou?

Marco: Forrest Gump, simplesmente brilhante, pela sua realização, mas principalmente pela sua história. Um miúdo que tinha uma deficiência intelectual, talvez um autismo, mas era muito simples, sofreu bullying em criança por isso, em criança faz uma amizade (para a vida) e um grande amor pela Jenny, e para mim é um amor de verdade para a vida. Vai para a guerra e volta a sofrer bullying, salva todos os seus companheiros carregando-os as costas, menos um que era o seu amigo, conheceu o presidente USA . Vira campeão de ping pong, compra um  barco e torna-se milionário (porque era o sonho do amigo dele que morreu na guerra) e humildemente entrega a parte do amigo à família dele. Criou a inspiração do smile face. Mas também mostra o seu amor que tem pela sua mãe, reencontra a Jenny e vive um grande amor. O filme é brilhante. 

Cafeína: Escreverias um livro? Se sim, sobre quê?

Marco: Se tivesse mais arte no engenho, seria uma banda desenhada, para fazer sorrir as crianças. 

Muito obrigada Marco pela tua participação 

Espero que tenham gostado.

P.S- Na próxima terça feira também trago alguém muito especial para vir tomar café comigo. Aguardem 

11
Jul22

De mãos dadas

Cafeína

Estava muita gente naquele transporte. Não se sabe ao certo que transporte era mas tinha o teto em madeira.

Estava calor e tinha-se apercebido de um movimento estranho, nisto dá-se uma explosão. Já no chão, enquanto encobria a cabeça com as mãos, tomou consciência que acontecera um atentado. Levantou-se, olhou em volta e viu feridos e corpos já sem vida. Numa calma que parece mais divina que humana virou-se para trás.

Em simultâneo, virou-se também aquela mulher que chorava. Dirigindo-se a ela, limpou-lhe as lágrimas, beijou-lhe a testa e deu-lhe a mão.

E seguiram.

Seguiram por uma estrada de terra batida, inclinada e cujo fim não se via.

 

Pág. 1/2

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub