Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Doce Cafeína

Doce Cafeína

25
Mar22

Corda Bamba

Cafeína

Todos os dias desta semana, no caminho para o trabalho tenho encontrado acidentes que me fazem perder imenso tempo no trânsito. Quando isto me acontece penso sempre que, todos os dias,não sabemos para o que acordamos, sabemos com saímos e não sabemos se entramos. Parece uma espécie de corda bamba entre a coragem e a alegria de viver e o estranho defender da vida a todo o instante.

Fico sempre muito aborrecida quando fico presa no trânsito mas penso sempre que o motivo desse trânsito é bem mais grave. E enquanto as filas de carro andam a conta gotas imagino a história de vida de cada um e acredito que estamos muito mais ligados que aquilo que imaginamos.

Os dias estão cinzentos e parece um tempo estranho este, a vários níveis. Quero acreditar que é uma fase e que todos , de uma forma coletiva (ainda que não nos apercebamos) teremos dias mais felizes.

22
Mar22

Cenas aleatórias ll

Cafeína

Ando tão cansada ultimamente. 

Não é desmotivada, é mesmo cansada! Eu sei que faz parte e, que o cansaço é fruto de um esforço em prol de algo que muitas vezes vale a pena, mas só me apetece dormir e convenhamos que no trabalho não dá jeito 

Sinto também que esta guerra veio mexer e abanar com os nossos alicerces emocionais, tenho sentido necessidade de estar mais presente em casa, com os miudos, com o homem, fazer jogos que a todos envolvam.

Apetece-me escrever mas por vezes a vontade esvai-se. Ainda sonho com o editar de um livro e com uma estadia à beira mar sem que ninguém me azucrine o cérebro.

No trabalho tudo está ok, nem me tenho irritado ultimamente. 

Ensinaram-me o lema do PQP. Volta e meia mando tudo para o PQP. Sei lá, há algo de interessante nisto. 

Gosto muito de aqui vir mas estou em piloto automático 

 

 

16
Mar22

Deus

Cafeína

Deus

Ao longo do teu caminho

estejas acompanhado

estejas sózinho

Reza-LHE.

 

Por entre o decorrer dos tempos

na grande alegria

nos teus contratempos

Reza-LHE.

 

Quando Lhe pedires

aquela graça que anseias

Quando por ventura Lhe ralhares

Por te sentires entre teias

Reza-LHE

E quando achares que não te ouve

e que de ti se apartou 

Quando o teu peito chorar

e sentires que nada acalmou 

Reza-LHE

Porque nesta vida és tu  com ELE

E sempre a  Ele te deves agarrar

porque apesar de tudo, é ELE

O que menos te vai falhar.

15
Mar22

No seguimento dos desamores

Cafeína

Ao ler este post "Há (de)samores para a vida?" vieram a mim vários sentimentos e algumas emoções.

É costume dizer-se que quem muito sente, muito ama, muito sofre, mas mesmo sofrendo vive, e que o viver tudo isso se subropõe ao sofrimento e ás aprendizagens que dele retiramos. Será isto verdade? Será que viver uma paixão ou um amor intensamente vale assim tanto a pena? Diria que em alguns casos não. Há amores ou desamores que nos acompanham por anos a fio se não por toda a vida. Porque, por muito que nós nos curemos, por muito ultrapassado que a coisa esteja, a verdade é que há sempre uma mágoa, uma dor, o raio de um lugar, uma estúpida expressão, um cheiro, uma merda qualquer que traz à memória o melhor e o pior do que foi vivido. E então se foi intensamente pior, porque a investida recai em sufocar um sentimento mal resolvido que permanece em existir como se de um castigo se tratasse.

E não, nenhum dos dois segue o caminho a desejar felicidades ao outro! Isso não existe! Na melhor das hipóteses, segue-se a vida com o coração mais calejado, com a alma menos presa e com um menor nó na garganta, mas esquecer de vez...será que acontecerá verdadeiramente?

A vida é uma constante aprendizagem e nem sequer ouso já questioná-la.

 

07
Mar22

Sonhos dilacerados

Cafeína

Nesta guerra nada faz sentido.

E choca-me profundamente as imagens que nos chegam, de familias separadas, amores separados, impossibilitados de serem vividos. As imagens que me pulsam na cabeça são as de mulheres que saem apenas com a roupa do corpo, muitas delas com os filhos pela mão numa coragem que nem elas percebem e com o medo de nem sequer saber quando e a que horas irão alimentar os seus filhos. Qualquer passo em falso e morrem aos olhos das crianças. Crianças, cujos sonhos foram violentados, destruídos e brutalmente anulados. Não há nada cor-de-rosa naquelas crianças. Tudo é medo e dor.

É uma sensação de impotência e medo de quem vê as imagens pela televisão e certamente será a sensação de morte em vida a das pessoas que vivem tamanho pesadelo.

As filas, os quilómetros, as horas, o frio, a fome, o degradar de uma nação nos olhos de quem é inocente e nada contribuiu para tal terror.

Tudo isto nos tem chocado ultimamente e quer queiramos quer não ninguém é capaz de ficar indeferente. Tenho abraçado tanto os meus filhos ultimamente e cada vez que o faço, apetece-me chorar. Chorar pelas mulheres, pelas crianças e pelas mães. Não sei onde iremos, sei que o medo paira no ar e a instabilidade e ambiente doentio que se faz sentir no mundo a todos nós vai matando aos poucos.

 

04
Mar22

Coisas

Cafeína

Está um frio do caraças

O trabalho é mais que muito

Não me apetece fazer puto

sairam-me 2€ na rapadinha

Já bebi dois cafés

voltei a comer pastilhas

O Putin come cócó às colheres

Estamos a um passo de ir pelos ares

Não sei se gosto disso...

 

02
Mar22

uma curtinha

Cafeína

Andei meio ausente, com muito trabalho e com o carnaval dos meninos à mistura mas estou de volta.

Sinto-me um pouco cansada e com necessidade de parar um pouco, de dormir a meio da tarde, sabem? Enfim, são fases e ainda bem que elas existem para nos fazerem sentir vivos. 

Uma beijoca 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub