Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Doce Cafeína

Doce Cafeína

25
Nov21

Não sei se fiz bem

Cafeína

O meu pintainho mais velho chegou triste a casa porque os meninos fizeram batota no jogo de futebol. Ouvi o seu desabafo com toda a atenção e ao fim de alguns minutos ele olhou para mim como quem esperava um feedback maternal sobre a situação.

Enquanto o ouvia, à minha mente vinha tudo o que vivi em criança e já em adulta, e consegui, naqueles breves minutos valorizar aquele desabafo, aparentemente pouco importante.

A dada altura, eu disse-lhe: "Filho, pensa assim: A vida é como esse jogo de futebol, nesse jogo tens os bons jogadores e os maus jogadores. As pessoas não mudam, terás que ser tu a mudar e a trabalhar a situação. Portanto, o conselho que te dou vai no sentido de te retirares do jogo sempre que as regras não forem de encontro com o que acreditas.

Assim será sempre na vida: Estamos todos em jogo mas se forem desonestos contigo terás sempre a liberdade de retirar da mesa. Então ainda que te apeteça muito jogar com esses meninos, se só servir para te irritares e ficares triste, sai de jogo"

Abraçou-me como se entendesse tudo. Isso preoucupou-me.

24
Nov21

Doce rebeldia

Cafeína

Gosto de andar à chuva.

Faz-me sentir livre de uma forma docemente louca e dá-me alguma adrenalina "afrontar" o que é "normal". Nunca me encaixei verdadeiramente nos diversos parâmetros instituidos pelo mundo e sociedade. Sei que há uma franca rebeldia em mim. E gosto disso porque me faz sentir única.

Ser única e diferente não é tarefa fácil, faz doer muito mais, trabalhar muito mais e obriga a um jogo de cintura muito maior que é compenssado pelo brilho dos olhos de alguém que diz " eu gostava de ser como tu". Não tenho nada de especial. Aprendi cedo demais que a opinião dos outros não me importa. Sempre que tive na mó de baixo, fui eu mesma que me trouxe à tona de àgua.

Por isso ser ovelha negra até se torna um previlégio. 

18
Nov21

Cuidar de nós

Cafeína

Quanto mais olho em volta mais sinto necessidade de estar comigo mesma, de me auto-conhecer e cuidar.

Lido diariamento com pessoas que até me dizem alguma coisa no que toca à questão da essência interior mas de um dia para o outro vejo essa essência desmoronar-se. E isto realmente me desilude muito, causa-me uma decepção sem retorno. Eu sei que todos somos humanos, erramos e mudamos mas há caracteristicas que são natas e essas devem predominar sempre. Eu tenho 37 anos e não estou igual quando tinha 27 anos. Nós evoluímos e é esse um dos principais propoósitos de vida de todo o ser humano. Mas sabem quando algo perde o encanto? Quando cai o véu e quando cai o manto? Talvez eu seja demasiado piegas mas custa-me tanto assistir ao degradar de uma personalidade bonita e até imponente pela sua presença.

Eu também mudo, também falho, também desiludo e isso faz-me colocar no lugar do outro mas... será que devemos aceitar tudo impávidos e serenos, sem questionar, sem ir à luta, sem remediar?

Hoje estou muito virada para esta reflexão.

 

16
Nov21

Nem sei o que pensar disto

Cafeína

O meu pintainho mais velho contou-me esta manhã que, ontem a professora disse a uma coleguinha dele num tom zangado: " agora vais mijar-te pelas pernas abaixo"

Mas o que me tocou foi ele dizer-me: "Oh mãe mas não digas a ninguém que eu te contei."

Ora, eu não sou de porcelana e até acho que alguns professores são esmiuçados mas não gostei do que ouvi... 

15
Nov21

Cafeína e as gatas

Cafeína

Cafeína foi limpar os cagalhotos cocós da caixa das gatas ( entretanto adotei mais uma gatinha e então já são duas) e naquele magnifico e horripilante momento pude desfrutar (não é preocupante e degradante o ponto a que  cheguei? ) de uma areia toda cheia de merda XPTO porque aglomera os ditos cujos das bichinhas e ainda por cima é aromática por isso, pensei agora isto é cagativo "peanuts".

Só que a mais novinha entrou na areia acabadinha de limpar e mesmo nas minhas barbas fez uma daquelas esmeradas e triufantes pirâmides fedorentas que tapou de imediato mas que aproveitei para retirar, uma vez que estava com as mãos na merda  a executar tal serviço.

Cumprindo a dita tarefa fechei o saquinho e prontifiquei-me a levar de imediato ao lixo só que no momento que eu ia a sair ouvi uma delas na caixa de areia e pensei: "foi xixi, só xixi" só que não. Não foi só xixi, foi a prova que andam a comer demais e que elas apreciam a limpeza do respetivo WC.

Lá fui eu mais uma vez comtemplar os cagolhotos  retirar os cocós para depois lavar e deixar tudo cheirosinho.

Assim vai a vida na Cafeína House. 

 

11
Nov21

37

Cafeína

Fiz 37 anos no dia 9 de Novembro.

Refleti sobre o meu caminho até aqui e pude experimentar várias emoções.

Já passei por umas coisitas que me permitem ser muito dona de mim e a priorizar-me. Certo dia, numa conversa entre amigos, alguém me perguntou se eu choro muito. Respondi-lhe que sim, que choro muito mas sem lágrimas. Aprendi a sangrar por dentro e em silêncio, porque das minhas dores só eu tenho que saber e aprender a lidar com elas. Tento ser uma pessoa positiva e alegrar-me com detalhes do dia-a-dia. Apesar da estrada turtuosa sei que sou uma previligiada e agradeço a Deus por isso.

Aprendi a educar emoções,disciplinar dores e a curar-me. Aprendi a filtrar confidências, a não me entregar em pleno ( o que me deixa triste) porque não somos todos iguais e nem sempre caminhamos em compassos igualmente ritmados.

Aprendi que se tiver que deixar cair uma lágrima em público está tudo bem. Aprendi, acima de tudo a aceitar-me e a amar-me.

A vida não é sempre fácil, mas estou contente comigo.

Que seja um ano feliz.

Pág. 1/2

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub